Follow by Email

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O TRANSVERSO

Parecia tão normal;
Mas, no seu ser ocorria;
Coisas de animal
Que ele nem percebia.


Era uma força fatal
Que ardia em seu  ser;
Foi vencido pelo mal
E não quis compreender.

A razão dizia; não!
Apaixão dizia; sim!
Paixão não entende razão...
Mas, razão aponta o bom fim.

O desejo foi crescendo,
E logo se expandiu.
Dominou todo seu ser
Deixando-o triste sem brio.

Vive agora abatido,
Sofrido desfigurado;
Com sentimenos detidos;
Deseja voltar ao passado.

Mas, um tempo ainda resta!
Embora, está quase findo;
Voltando enquanto é tempo,
Torná-se-á  livre e lindo.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

DESEJOS EM PRECE

Quem dera que meus desejos
Fossem pautados por Deus,
Eu mais nada o pediria
Pois seu querer era o meu.

Envolvida em sua causa
Andando no seu querer,
Herdaria a sua calma,
Seu Espirito e  Seu poder.

SENHOR!
Faças que eu abra a alma,
E atenda ao aflito,
Dá-me saber e graça,
Tiras-me deste conflito.

Não deixes que o tempo passe
E eu envolvida em perigo.
Toma-me em Teus braços,
Tu és o melhor amigo.


Extraido do meu livro: ALÉM DA SECA

AMOR CARNAL

Que paixão é essa que pisa, escravisa;
Que arrebata meu ser meu querer;
Chega entra, nem avisa se introniza,
Fazendo minha vida um amanhecer.

Eu fico a pensar, analizar;
Nesse amor carnal e sensual,
          Pois quer ver-me envolvida inserida;
Numa amizade louca infernal.

Bem sei que tens no âmago o desejo,
Tens forças, tens garra tens poder;
Te peço não insistas por meus beijos,
Há alguem especial em meu viver.
                                           Um dia;
       Entrou em minha vida desprovida,
Ajudando-me a casa arrumar,
        Dei-lhe cama; amor dei-lhe guarida,
Já sou dele, ele veiu pra ficar.

sábado, 11 de junho de 2011

AMOR ANTIGO

Eu pensei que o tempo, a distância, e as
circunstâncias, separassem-nos pra sempre.
Ontem sonhei e vi teu sorriso, teu porte,
incendiando em mim; amor
um profundo amor.
Por que te deixei partir?
Por que não considerei nossas necessidades,
Hoje estou só!
Lembro-me quando no meu
ouvido sussurravas que me amavas e que um dia,
alcançaria as estrelas e jogarias aos meus pés!
Fui ingênua não considerando o teu ser.
Eras tu, o horizonte distante
que eu desejava alcançar.
Eras o ser que meu
ser  completaria.
Não percebi,
partiste.
Novamente só.
Tu não querias ir, eu sei;
fiquei te olhando até desapareceres...
Eu soube que choras-te, sofreste.
Soubestes que, chorei, sofri. 
Quase morri.

 Extraído do meu livro: Uma Jovem Inconstante

sábado, 4 de junho de 2011

JOVEM INCONSTANTE

Jovem ingênua, inconstante
Vagueia nas noites da cidade
Embriagando-se sob luz incandescente
Parecendo vender felicidade.

Despreocupada abre portas e janelas,
Nas ruas das cidades e favelas;
Expondo-se nos bares a bagatela,
Como se todos fossem parentela.
                              É madrugada;




Volta pra casa e insiste,
Mas, a porta fechada está;
Começa chorar não resiste,
Ver a vida então desmoronar.
Agora;

As lágrimas descem pelas janelas,
Lava o rosto da menina bela;
Só não pode lavar o peito dela,
Encharcado de traumas e sequelas.

          Um alicerce mal feito leva  ao chão,
Um edifício belo e encantado;
      Destruindo sua vida com as mãos,
         Não pensou no futuro nem passado.
Mas;

Em Cristo á Porta aberta,
Há um refugio singular;
Vida também se conserta.
E Ele está a esperar.

COMO TE ESQUECER

Como,
Esquecer-te! se minha alma por ti suspira;
Como,
Esquecer-te se teu rosto gravado ficou!
Já não posso dizer que é mentira
Se meu ser está cheio de amor...

Tu vieste marcar minha vida,
De paixão excitar-me ao amor.
Não posso ficar indecisa
Vou buscar-te seja onde for.

Serás dono da minha existencia,
Pois, terás em tuas mãos meu querer;
E teremos real convivencia,
Bem juntinhos iremos crescer.

Extraido do meu livro:
UMA JOVEM INCONSTANTE

sexta-feira, 3 de junho de 2011

No escritor, tudo nele tem por base sua propria personalíssima experiencia;
a vida por ele pessoalmente experimentada; vista, ouvida, vivida, sentida,
amada, sofrida, observada.